O Headset da Depressão Flow é um dispositivo de última geração utilizado para o tratamento não invasivo da depressão através da estimulação transcraniana de corrente contínua (ETCC). Com um design ergonômico, apresenta uma combinação de cores em branco e preto e está posicionado sobre uma caixa azul elegante que sugere uma embalagem de alta qualidade. Este dispositivo é projetado para proporcionar uma experiência de uso confortável, com suportes ajustáveis e almofadas que garantem um ajuste personalizado para o usuário. A tecnologia ETCC é utilizada para modular a atividade neural visando aliviar os sintomas da depressão, oferecendo uma alternativa de tratamento segura e eficaz.

Tudo o que você precisa saber sobre o Headset da Depressão Flow

A depressão tem desafiado cientistas, médicos e pacientes na busca por tratamentos eficazes, seguros e livres dos efeitos colaterais muitas vezes associados às terapias convencionais. O Headset da Depressão Flow oferece uma abordagem baseada na estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC), uma técnica que, embora utilizada há anos em ambientes clínicos, agora se torna acessível para o uso domiciliar. 

 

Aprovado por instituições regulatórias como a Anvisa no Brasil e a CE na Europa, o Headset Flow é fruto de rigorosos processos de pesquisa e desenvolvimento. Sua tecnologia não invasiva, apoiada por ensaios clínicos, alivia os sintomas da depressão sem os efeitos colaterais associados a medicamentos.

 

Este artigo explora como essa tecnologia se apresenta como uma alternativa viável para o tratamento da depressão, oferecendo insights sobre sua segurança, eficácia e como os pacientes podem integrá-la às suas vidas.

 

Segurança e Eficácia do Tratamento

Em primeiro lugar, sempre que se fala em tratamentos contra a depressão, precisamos falar sobre a segurança dos tratamentos. O Headset da Depressão Flow tem forte respaldo científico, com mais de 20 ensaios clínicos validando sua utilização sem efeitos colaterais graves.

 

Além disso, o produto recebeu aprovações significativas:

 

  • Certificação CE e Anvisa: Estas certificações indicam que o dispositivo atende aos padrões regulatórios rigorosos para dispositivos médicos na Europa e no Brasil, respectivamente​​​​.
  • Projeto e fabricação: Desenvolvido na Suécia, o design do Headset Flow prioriza a segurança e o conforto do usuário, minimizando possíveis desconfortos durante o tratamento​​.

 

Já na parte de eficácia do tratamento, o Headset da Depressão Flow melhora comprovadamente os sintomas da depressão:

 

  • Melhorias notáveis: A maioria dos usuários nota uma melhoria significativa em sintomas-chave da depressão, incluindo humor, foco e sono, em um período curto de tempo após iniciar o uso do dispositivo​​.
  • Suporte científico: A técnica de ETCC, base para o funcionamento do Headset, é apoiada por evidências científicas que demonstram sua capacidade de reduzir os sintomas depressivos pela metade após seis semanas de tratamento. Uma pesquisa interna revelou que 81% dos usuários experimentaram uma redução na depressão após apenas três semanas​​.

 

Estas características destacam o compromisso do Headset da Depressão Flow com a segurança e eficácia, oferecendo uma opção de tratamento confiável para indivíduos buscando alívio dos sintomas da depressão. 

 

Uso Autônomo e com Acompanhamento Médico

A possibilidade de uso autônomo do Headset Flow no tratamento da depressão, permite que os pacientes recebam terapia de estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) no conforto de suas casas. 

 

O design intuitivo do dispositivo, aliado à sua bateria de longa duração, oferece uma solução prática para o tratamento contínuo sem a necessidade frequente de recarga. 

 

Cada kit inclui Pads descartáveis para iniciar o tratamento, garantindo que os usuários possam começar sem preocupações adicionais sobre a aquisição imediata de acessórios​​.

 

O aplicativo Flow, uma peça central dessa abordagem de tratamento, serve como um guia passo a passo para a correta utilização do headset.  Ele instrui sobre como posicionar o dispositivo e os Pads, monitora o progresso do tratamento oferecendo feedback em tempo real. 

 

Além disso, o aspecto autônomo do uso do Headset Flow é complementado pela possibilidade de acompanhamento médico. Embora o dispositivo permita uma gestão independente do tratamento, a orientação profissional é recomendável, especialmente na fase inicial e para ajustes no protocolo de tratamento. 

 

O aplicativo facilita essa interação, permitindo que os dados do tratamento sejam compartilhados com profissionais de saúde, caso o usuário deseje. Assim, o tratamento combina a flexibilidade do uso doméstico com a segurança e a personalização que o acompanhamento médico proporciona​​.

 

Compatibilidade com Outros Tratamentos

A compatibilidade do Headset da Depressão Flow com outros tratamentos representa um aspecto fundamental da sua flexibilidade e aplicabilidade no cuidado da saúde mental. 

 

A possibilidade de usar o headset em conjunto com medicamentos antidepressivos amplia as opções de tratamento para pessoas com depressão, permitindo uma abordagem mais personalizada e integrada ao cuidado de sua saúde.

 

O uso do Headset da Depressão Flow junto a medicamentos antidepressivos não apresenta contraindicações conhecidas, o que significa que pacientes podem, sob orientação médica, combinar a estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) com a farmacoterapia. 

 

Essa abordagem multidisciplinar pode ser particularmente útil para indivíduos que não respondem adequadamente aos medicamentos sozinhos ou que buscam minimizar seus efeitos colaterais.

 

A compatibilidade do headset com outros tratamentos amplia o espectro de cuidados disponíveis para a depressão, oferecendo uma alternativa ou complemento à medicação. Isso se alinha à crescente demanda por tratamentos personalizados e menos invasivos, que se adaptam às necessidades e preferências individuais dos pacientes.

 

Consulta Profissional

A importância de consultar um profissional de saúde antes de realizar qualquer alteração no tratamento atual não pode ser subestimada. 

 

A avaliação médica assegura que a combinação de tratamentos seja apropriada para o quadro clínico específico do paciente, levando em consideração fatores como a severidade dos sintomas, histórico médico e potenciais interações entre diferentes modalidades de tratamento.

 

Profissionais de saúde podem oferecer orientações valiosas sobre como integrar o uso do Headset da Depressão Flow ao regime de tratamento existente, garantindo que a adição deste novo método seja feita de maneira segura e eficaz. 

 

Além disso, o acompanhamento médico permite monitorar o progresso do tratamento e ajustar as estratégias conforme necessário para obter os melhores resultados possíveis.

 

Benefícios Comprovados e Feedback de Usuários

Usuários do Headset da Depressão Flow relatam uma série de melhorias que impactam diretamente na qualidade de vida, incluindo o aumento do humor, aprimoramento do foco e a melhoria na qualidade do sono. Essas mudanças positivas geralmente se manifestam em um período de 3 a 6 semanas de uso regular.

 

Isso se deve ao método de ação do dispositivo, que modula a atividade neural por meio de impulsos elétricos suaves, visando áreas específicas do cérebro associadas à regulação do humor e cognição.

 

Essas melhorias na função diária e bem-estar geral são essenciais para a recuperação de longo prazo de indivíduos que sofrem de depressão.

 

Em resumo, o Headset Flow emerge como uma opção de tratamento promissora para a depressão, oferecendo benefícios corroborados tanto por feedbacks de usuários quanto por estudos clínicos. Este tratamento representa uma abordagem menos invasiva e com menor risco de efeitos colaterais, abrindo caminho para uma nova era no manejo da depressão.

 

Como Começar o Tratamento

Para começar o tratamento com o Headset da Depressão Flow, siga um processo direto e intuitivo, projetado para facilitar o acesso ao tratamento inovador de depressão no conforto do seu lar. 

 

Aqui está um guia para começar:

 

  • Encomende o Headset Flow: Acesse o site oficial do produto ou lojas autorizadas para adquirir o seu headset. O processo de compra é simples, semelhante ao de outros produtos online.

 

  • Baixe o Aplicativo Gratuito: Após a compra, baixe o aplicativo Flow, disponível gratuitamente nas lojas de aplicativos. O aplicativo é uma parte crucial do tratamento, pois fornece orientações detalhadas sobre como usar o headset, além de acompanhar seu progresso.

 

  • Configure o Dispositivo: Quando receber o headset, siga as instruções claras fornecidas pelo aplicativo para configurá-lo corretamente. Essas instruções incluem como ajustar o headset na cabeça, como e onde posicionar os Pads, e como iniciar uma sessão de tratamento.

 

  • Inicie o Tratamento com Sessões Recomendadas: O aplicativo orientará você através das sessões de tratamento recomendadas. Estas sessões são projetadas com base em evidências científicas para proporcionar os melhores resultados. É importante seguir o protocolo de tratamento proposto para maximizar a eficácia do tratamento.

 

  • Siga o Protocolo de Tratamento para Resultados Eficazes: A aderência ao protocolo de tratamento é essencial para alcançar resultados significativos. Isso inclui manter a regularidade das sessões, seguir as orientações de uso do aplicativo e monitorar seu progresso ao longo do tempo.

 

Lembrando a importância de seguir rigorosamente o protocolo de tratamento, este guia facilita o início do seu caminho para uma melhor saúde mental. 

 

O tratamento com o Headset Flow representa um método promissor para aliviar os sintomas da depressão, proporcionando aos usuários uma opção de tratamento conveniente e inovadora em casa.

 

Um aliado no cuidado com a saúde mental.

O tratamento com o Headset da Depressão Flow destaca-se não apenas por sua base científica sólida e aprovações regulatórias, mas também pela forma como reimagina a abordagem à depressão – com um foco no empoderamento do paciente e na integração harmoniosa do tratamento na vida cotidiana. 

 

A capacidade de administrar a terapia de ETCC de forma independente, sem sacrificar a segurança ou a eficácia, se torna uma grande aliada no cuidado com a saúde mental.

 

Para encomendar o seu Headset da Depressão Flow, clique aqui!

Depressão e sono

Qual é a relação entre depressão e sono?

As estratégias mais eficientes de sono para melhorar a depressão.

A maioria das pessoas depressivas lutam com o sono e pessoas não depressivas que têm privações de sono logo vão começar apresentar sintomas depressivos. Este artigo busca explicar a complexa relação entre depressão e sono e procura mostrar como usar essa relação como vantagem. Fazendo algumas modificações no estilo de vida em casa, você pode melhorar sua qualidade de sono e diminuir sintomas depressivos no processo.

A ligação entre depressão e sono

Existe uma importante conexão entre depressão e sono, a qual tem interessado pesquisadores por décadas. De acordo com uma pesquisa realizada no Departamento de Psicologia da Universidade do Texas do Norte, pessoas que sofrem com insônia tinham 10 vezes mais chances de se tornarem depressivas do que pessoas que não apresentavam problemas para dormir.

Portanto, um sono ruim aumenta o risco de depressão. Pessoas saudáveis que são privadas de sono logo começaram a experienciar sintomas depressivos, como:

  • Dificuldade de concentração;
  • Desânimo;
  • Sentimento de vazio;
  • Mudança de apetite;
  • Falta de energia.

O que é mais interessante nessa conexão entre depressão e sono é que o relacionamento é de duas vias. Não só um sono ruim aumenta as chances de depressão, como a depressão leva ao sono ruim (você deve ter notado que algumas pessoas com depressão dormem demais e algumas não dormem o suficiente). A notícia boa é que podemos usar essa relação a nosso favor quando lidamos com a depressão. Como a depressão e o sono se afetam diretamente, a mudança de um também muda o outro. Por exemplo, dormir melhor pode melhorar seus sintomas depressivos e tratar a sua depressão irá melhorar a qualidade do seu sono.

A próxima parte vai falar sobre a insônia, como tratá-la e onde procurar ajuda. Depois, esse artigo irá te dizer como melhorar sua qualidade de sono em casa.

Depressão e insônia

– Quando os problemas para dormir se tornam um transtorno?

Como dito anteriormente, pessoas com problemas de sono apresentam um maior risco de se tornarem depressivas comparadas com as pessoas que não sofrem o mesmo problema. Insônia é o nome de um transtorno do sono no qual há falta de qualidade no sono e é comum pessoas depressivas experienciar essa condição.

Pessoas com insônia têm severas e longas dificuldades em cair no sono e permanecer dormindo. Aqui tem uma lista de sintomas típicos de insônia (se você estiver passando por uma depressão, provavelmente você irá reconhecer alguns deles):

  • Dificuldade de começar a dormir;
  • Dificuldade de permanecer dormindo;
  • Acordando muitas vezes durante a noite;
  • Sonolência diurna;
  • Irritabilidade;
  • Baixa concentração.

Este vídeo do TED-Ed irá te contar mais sobre as causas da insônia e o que você pode fazer para melhorar a qualidade do seu sono: Mostrar vídeo. Detalhe: o vídeo está em inglês, mas você pode acionar as legendas em português para acompanhar. Basta clicar no botão “subtitles” que aparece no canto inferior do vídeo e ativar o sistema de legendas.

Como tratar insônia e depressão

– Existe a cura número 1?
Devido a relação entre sono e depressão, algumas vezes, mudanças simples no estilo de vida são suficientes para melhorar a qualidade de sono e diminuir os sintomas depressivos (as próximas duas seções falará mais sobre isso). Em casos mais severos, a ajuda profissional poderá ser absolutamente necessária.

TCC para insônia. Um tipo de tratamento psicológico conhecido como TCC (Terapia Cognitivo-Comportamental) é recomendado pela Fundação Nacional do Sono como um tratamento para a insônia. Além disso, o Dr. Matthew Walker, professor de neurociência e psicologia da Universidade da Califórnia recomenda a TCCI (terapia cognitivo-comportamental para insônia) como o tratamento número um para insônia. O tratamento inclui visitas regulares ao médico, avaliação do sono, diário do sono e outras ferramentas para te ajudar a mudar a forma como você dorme.

Aplicativos para Depressão baseado na terapia comportamental. Se você quer fazer mudanças imediatamente, ou seja, mudar seus hábitos de sono para diminuir os sintomas depressivos, o aplicativo da Flow 100% gratuito irá te ajudar a começar. Nele inclui um módulo completo do sono no qual um terapeuta virtual te guia durante o processo e inclusive pede tarefas de casa para te ajudar a se manter no caminho certo. Baixe agora.

Higiene do sono. Em conjunto com o tratamento psicológico, existem outras coisas que você pode fazer para aproveitar a relação entre depressão e sono e mudar seus hábitos de sono e diminuir os sintomas depressivos. A próxima seção irá focar na simples mudança de estilo de vida para melhorar a qualidade do seu sono.

Como melhorar a depressão e o sono em casa

– Para de esforçar muito

Você já esteve na cama a noite achando impossível de pegar no sono? Vendo que você está lendo esse artigo, provavelmente sim. O complicado de adormecer é que você nunca terá sucesso enquanto estiver tentando. Frustrante, não? Os melhores dorminhocos no mundo são aqueles que nunca pensam sobre o sono. Para eles, dormir é algo que simplesmente acontece. Por quê? Bom, pegar no sono é um processo involuntário e qualquer tentativa de controlá-lo irá fazer com que seja mais difícil.

Quando colocamos esforço em algo, qualquer coisa que seja, nós estamos dizendo ao nosso cérebro para ficar mais alerta – o exato oposto do que precisamos para dormir. Então, o primeiro passo para um sono melhor é parar de se esforçar. Aqui estão algumas dicas para você começar:

1. Saia da cama

Se você estiver na sua cama que não seja para dormir ou fazer sexo – levante! Quando você fica na cama, virando e virando e fazendo um esforço para dormir, o cérebro irá associar a cama com um estado de vigília. Portanto, seu cérebro pode automaticamente ficar ligado toda vez que você se aproximar da cama porque pensa que a cama é um espaço para atividade e luta. A solução é sair da cama se você não tiver adormecido depois de 20 minutos e fazer alguma coisa que te relaxe até você pegar no sono novamente. Evite olhar para as telas, elas não são relaxantes (veremos mais sobre isso depois). Ao invés, leia um livro, dobre as roupas, medite, faça carinho no seu animalzinho ou tente um exercício de relaxamento. Só retorne para a cama se você se sentir sonolento. Além disso, só use sua cama para dormir. Não use para qualquer outra atividade durante o dia, como comer, estudar, ver televisão etc. Se você fizer, o cérebro pode começar a associar seu espaço de descanso num espaço de vigília.

Não tente silenciar seus pensamentos

Você já desejou por um botão dentro da sua cabeça que desligaria todos seus pensamentos? A maioria das pessoas que lutam com a depressão e o sono provavelmente já desejaram isso. A coisa frustrante dos pensamentos preocupantes, a lista de afazeres, as especulações existenciais antes da hora de dormir, é que, ao tentarmos apagá-los, eles normalmente voltam com mais força. Este exercício de 1 minuto demonstra a impossibilidade de apagar pensamentos negativos antes de dormir. Assista ao vídeo clicando aqui. Detalhe: o vídeo está em inglês, mas você pode acionar as legendas em português para acompanhar. Basta clicar no botão “legendas/legendas ocultas” que aparece no canto inferior do vídeo e ativar o sistema de legendas.

Se nós não conseguimos apagar os pensamentos perturbadores, o que deveríamos fazer então? Todo meditador experiente sabe o segredo para acalmar sua mente: identifique seu pensamento e deixe-os passar. Isso, é claro, requer prática. Então, da próxima vez que seus pensamentos te deixarem acordado à noite, saia da cama e faça esse exercício de meditação como os disponibilizados aqui. Assista ao vídeo clicando aqui. Detalhe: o vídeo está em inglês, mas você pode acionar as legendas em português para acompanhar. Basta clicar no botão “legendas/legendas ocultas” que aparece no canto inferior do vídeo e ativar o sistema de legendas.

Você achará este e muitos outros exercícios de meditação no aplicativo depressão gratuito da Neurociência Flow, o qual inclui um tratamento completo para depressão em casa.

7 estratégias para melhorar seu sono e os sintomas da depressão

– Melhore suas chances de uma boa noite de sono
Aprendemos até aqui que não conseguimos decidir quando cair no sono e a preocupação em cima disso só faz com que piore. O que podemos fazer? Bastante coisa, na verdade. É verdade que nós não podemos controlar exatamente quanto nós dormimos, mas nós conseguimos melhorar as chances de pegar no sono com as seguintes ferramentas de sono (as estratégias são úteis, não importa se você dorme muito ou pouco):

1. Comece a se preparar 90 minutos antes da sua hora de dormir

Se certifique que seu cérebro está confortável e relaxado, talvez leia um livro (nada muito emocionante), medite, tome um banho, ouça uma música relaxante ou faça outra atividade relaxante por 90 minutos antes de você ir para a cama. Um cérebro alerta que acabou de ser exposto a estimulações interessantes, por exemplo sua série favorita, precisa de mais tempo para começar a pegar no sono do que um cérebro relaxado. Por isso, se certifique que seu cérebro não seja exposto a informações novas e alarmantes tarde da noite.

Uma dica: coloque um alarme para a hora que você quiser começar a se preparar para dormir para não esquecer de desligar suas telas, evitar de ler notícias, mutar seu telefone etc. Se você quiser, você pode tentar começar a se preparar com este exercício de 5 minutos de meditação da Flow. Assista ao vídeo clicando aqui. Detalhe: o vídeo está em inglês, mas você pode acionar as legendas em português para acompanhar. Basta clicar no botão “legendas/legendas ocultas” que aparece no canto inferior do vídeo e ativar o sistema de legendas.

Essa prática de meditação é uma das existentes no programa de tratamento de depressão em casa da Flow. O aplicativo de depressão inclui um módulo de meditação de atenção plena 100% gratuito para download.

2. Tenha um horário fixo para acordar

Uma coisa em relação ao sono que podemos realmente controlar é quando acordar. Criar uma rotina de sono regular é a mais poderosa ferramenta de todas. Então, acorde na mesma hora todo dia, mesmo no final de semana. Mesmo que seja desafiador, seu corpo com o tempo se ajustará a uma rotina de sono regular, fazendo o esforço valer a pena. Uma dica: coloque seu despertador do outro lado do seu quarto, o mais distante que puder da sua cama.

3. Dê a você a “oportunidade” de 8 horas de sono toda noite

É verdade que nós não podemos controlar quando pegamos no sono, mas nós podemos priorizar o nosso sono, ao menos dando a oportunidade ao nosso corpo a oportunidade de 8 horas de sono. A maioria das pessoas precisam de 7-9 horas de sono toda noite para permanecer saudável. Tente desligar a TV e ir para cama 8 horas antes da hora que você precisa acordar.

4. Durma em um quarto escuro

A escuridão é um gatilho para a liberação da melatonina, hormônio do sono, no corpo. A melatonina notifica o corpo que é hora de dormir e ajuda a adormecer mais rápido. É por isso que é melhor dormir enquanto está escuro, desligue as luzes da casa e use cortinas blackout ou uma máscara de dormir.

5. Evite luz de LED

Pesquisadores, como Dr. Matthew Walker, professor de Neurociência e Psicologia da Universidade da Califórnia, nos ensina que os humanos são especialmente sensíveis às luzes de LED de comprimento de onda azul usadas nas telas. Ler um IPad antes de dormir atrasa a liberação de melatonina por aproximadamente 3 horas, fazendo com que seja mais difícil de pegar no sono. Também, ela afeta a qualidade do sono. Pessoas que liam em iPads antes de dormir se sentiam significativamente menos descansadas no dia seguinte, comparado com aquelas que liam um livro. A lição aqui é óbvia: evitar as telas 90 minutos antes de ir para cama.

6. Deixe a temperatura do seu quarto em aproximadamente 18 graus

Em um experimento, explicado no livro Por que nós dormimos, pesquisadores descobriram que uma temperatura por volta de 18,3 graus no quarto ajudaria pessoas com insônia a adormecer 25% mais rápido que o normal.

A razão para isso é que os humanos são preparados para dormir durante a noite e antes dos modernos ar condicionados, costumava esfriar mais durante essas horas. Então uma queda de temperatura vai ajudar a liberação do hormônio do sono, a melatonina, que notifica o corpo para dormir.

7. Tome um banho quente antes da hora de dormir

Tomar um banho quente antes de dormir pode realmente melhorar a qualidade do sono. Um banho de banheira ou de chuveiro quente pode ser relaxante, mas essa não é a razão principal para a eficácia dessa estratégia.

Tomar um banho diminui a temperatura do corpo e, como mencionado acima, uma queda de temperatura irá desencadear a liberação do hormônio do sono melatonina. Quando você sai de uma ducha ou de um banho quente, o sangue corre para a superfície da pele, saindo assim do centro do seu corpo. Assim, as mãos, o rosto e os pés irradiarão o calor enquanto o seu núcleo fica agradável e frio. Em conclusão, esta é uma excelente maneira de passar o tempo relaxando antes de dormir.

Como vimos até agora, a relação entre sono e depressão é complexa e uma via de mão dupla. Tratar sua depressão irá melhorar sua qualidade de sono e dormir melhor irá diminuir seus sintomas depressivos. Um número de tratamento e estratégias irá te ajudar a usar essa relação em sua vantagem, incluindo a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC), o aplicativo de depressão da Flow, se preparar 90 minutos antes da hora de dormir, fixar um horário para acordar e ter um quarto fresco e escuro.

Obrigada pela atenção e bons sonhos!

Este artigo foi traduzido, para ver a versão original clique aqui.

Tratar depressão com ETCC

As vantagens da ETCC para tratar depressão

A Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC) pode ser utilizada para tratar depressão em casos em que o uso contínuo de medicamentos não é possível. Ou ainda quando o próprio paciente seja resistente aos tratamentos mais convencionais. E com o uso do dispositivo Flow, as vantagens são diversas.

O uso da ETCC para tratar depressão

Com todos os avanços da medicina, as técnicas de tratamento também foram se modernizando. Inclusive, já é possível tratar depressão sem fazer o uso de medicação controlada. Isso significa que existem outras possibilidades de tratamento que são eficazes, além de também contarem com a aprovação de especialistas da área.

Falaremos hoje, em especial, da Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC). Ela, há algum tempo, vem sendo objeto de diversas pesquisas. E se mostra como uma saída vantajosa quando o assunto é tratar depressão. Ademais, você também poderá se deparar com o termo neuromodulação em outras pesquisas que fizer sobre o assunto. Ele é um sinônimo para estimulação cerebral.

Mas para que você entenda um pouco mais sobre o universo da estimulação elétrica, a seguir mostraremos 4 benefícios que tratar depressão por meio do uso de dispositivos ETCC podem trazer. Tanto para o dia a dia quanto para a sua qualidade de vida.

Diferenciais que a ETCC pode oferecer

A mudança de métodos de tratamento precisa levar em conta uma série de questões: eficácia, efeitos colaterais, tempo médio para resultados. Com isso, tanto médico quanto paciente precisam entender a jornada e continuar o acompanhamento do quadro.

As técnicas para tratar depressão variam segundo os princípios do próprio tratamento. A medicação possui muitos prós, mas também alguns contras. E o melhor caminho é pesquisar por outras saídas que sejam eficazes e não invasivas, como a neuromodulação cerebral.

Acompanhe a seguir alguns dos benefícios que a ETCC pode trazer:

1. Resultados visíveis em semanas

Sempre que pensamos em qualquer tipo de tratamento, uma das preocupações é o tempo. Afinal, em quanto dias ou semanas será possível notar melhoras nos sintomas?

Claro que os dados são muito particulares, já que cada organismo vai reagir de uma determinada forma. Um estudo mostra que 41% das pessoas percebem uma melhora de 50% dos sintomas a partir da sexta semana de tratamento. Para acesso a mais informações, acesse aqui.

2. Efeitos colaterais irrelevantes

É sabido que os efeitos colaterais podem diminuir a qualidade de vida de quem está começando a tratar depressão. Falta de apetite, excesso de sono, queda da libido… tudo isso diminui consideravelmente a perspectiva de uma vida mais alegre.

Com a Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua, esses reflexos não são um problema. Grande parte das pessoas não sente nenhum reflexo do tratamento. Outros mencionam um leve formigamento onde o eletrodo é colocado, que desaparece em até uma hora depois do término da sessão. Comparado aos efeitos colaterais proporcionados por outros métodos, esses parecem mesmo irrelevantes.

3. Sessões ajustadas ao quadro

As sessões de ETCC são propostas segundo o estágio do tratamento. No início, é comum que os pacientes necessitem de maior frequência, realizando até 5 sessões por semana. Com isso teremos uma melhora considerável dos sintomas.

Mas tratar depressão é uma jornada. E cada estágio do tratamento necessita de mudanças, inclusive na recorrência dos estímulos. E esse processo todo é acompanhado, levando em consideração a melhora ou estagnação do quadro.

4. Estímulo focado

Para tratar depressão, a estimulação transcraniana por corrente contínua envia impulsos elétricos a uma região do cérebro localizada na parte frontal, chamada de córtex pré-frontal dorsolateral (DLPFC). Que desempenha um papel importante no controle da depressão. E com os estímulos, aumenta-se a atividade cerebral nesta região, diminuindo alguns dos sintomas depressivos, como alterações no apetite, distúrbios do sono e baixos níveis de energia.

Além disso, a tecnologia garante que os sinais elétricos sejam bem sutis.. Logo, não precisará se preocupar com o “choque”, uma vez que a sensação é similar à de leves cócegas na testa.

Com a ETCC é possível tratar depressão em casa?

Sim, é possível fazer o uso da técnica no conforto da sua casa. Isso graças ao Flow, um Headset de estimulação que pode ser manipulado pelo próprio paciente por meio de um aplicativo. Com ele, ter acesso às sessões de eletroestimulação pode ser realidade.

Abaixo você encontra um pequeno guia para o tratamento ETCC da Flow:

  • 1. Encomende o Headset Flow na loja online;
  • 2. Baixe bem aqui o aplicativo gratuito;
  • 3. Em alguns dias, seu Headset será entregue. Quando ele chegar, desempacote seu aparelho e inicie o aplicativo;
  • 4. O aplicativo mostrará como colocar o Headset e como iniciar a estimulação. Basta seguir as instruções;
  • 5. Você receberá cinco sessões de estimulação de 30 minutos por semana, durante as primeiras três semanas. Depois disso, haverá uma ou duas sessões por semana de acordo com a orientação do seu médico;
  • 6. A maioria das pessoas sente uma redução dos sintomas depressivos após 3-4 semanas.

E para mais informações sobre esta área, acesse o nosso blog. Com a técnica de ETCC da Flow você poderá tratar depressão e aliviar os sintomas de maneira simples, eficaz e menos invasiva.

shutterstock_583350982

Tudo que você precisa saber sobre ECT

O que vem à mente quando você pensa em terapia eletroconvulsiva (ECT) ou terapia de ‘eletrochoque’? Talvez imagens dramáticas do filme “Um Vôo Sobre o Ninho do Cuco”, com pacientes gritando e corpos se contorcendo ou médicos sádicos em jalecos brancos usando o procedimento como punição por mau comportamento?

Durante um procedimento de ECT moderno, você pode detectar um ou dos jalecos brancos, mas as semelhanças com o estereótipo antigo basicamente terminam aí. Este artigo falará sobre a utilidade da ECT moderna no tratamento da depressão e talvez acabe com alguns mitos sobre o procedimento. Se você não sofre do tipo mais grave de depressão, pode estar interessado em saber que existem formas mais suaves de estimulação cerebral mais adequadas para sintomas depressivos leves ou moderados.

As últimas seções deste artigo falarão sobre Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC) e como ela é usada para estimular o cérebro a sair da depressão.

O que é ECT?

Vamos do começo. O que exatamente é ECT? Bem, ECT significa terapia eletroconvulsiva e é uma forma de estimulação cerebral usada para tratar os casos mais graves de depressão ou depressão em pacientes que tentaram outras formas de tratamento sem resultado. A ECT também pode ser usada para tratar outras doenças mentais graves, como transtorno bipolar e sintomas de esquizofrenia.

Durante uma sessão de ECT, uma pequena corrente elétrica é administrada ao cérebro para induzir uma convulsão controlada enquanto o paciente está sob anestesia geral. Embora os pesquisadores não saibam exatamente como a ECT funciona, acredita-se que o tratamento acione a atividade elétrica entre as células cerebrais e mude o equilíbrio químico em áreas do cérebro que desempenham um papel importante na regulação do humor.

Agora, a próxima seção falará sobre o que a ECT NÃO é.

O que a ECT não é – acabando com os mitos

A maior parte do estigma em torno da ECT deriva das primeiras versões do procedimento, em que nenhum anestésico foi usado. Para ter uma visão mais clara do que a ECT é e o que não é, vamos dar uma olhada na diferença entre a ECT antiga e a ECT moderna.

ECT em 1938

Em 1938, o primeiro direcionamento de ECT foi usado e parecia muito diferente dos procedimentos atuais. Em 1938, os médicos executavam uma alta corrente elétrica no cérebro dos pacientes, causando convulsões em todo o corpo. Como nenhum anestésico era utilizado, os pacientes mordiam a língua ou até mesmo quebravam os ossos por causa dos espasmos musculares da convulsão.

Atualizações da ECT

O psiquiatra Dr. Harold A. Sackeim (PhD) descreve a diferença entre a ECT antiga e moderna em seu artigo de 2017.

A ECT é um tratamento de depressão muito mais seguro e confortável quando comparado ao que era há 80 anos, sendo que muitas melhorias foram feitas. Entre as décadas de 40 e 80, demorava muito mais para os pacientes se recuperarem após receberem a sessão de estimulação e eles permaneciam desorientados por várias horas após uma sessão de ECT.

Hoje, o procedimento é feito de forma diferente. A dose elétrica foi ajustada e administrada em pulsos breves, o que permite que os pacientes se recuperem muito mais rápido. A maioria dos pacientes é capaz de retomar as atividades diárias dentro de 1 hora após uma sessão moderna de ECT.

Uma sessão de ECT moderna em 7 etapas

No tratamento de ECT moderno, a anestesia geral é um dado adquirido, o que significa que os pacientes estão dormindo e sem dor durante todas as sessões. Os impulsos elétricos administrados ao cérebro são muito mais brandos do que em 1938 e a convulsão é breve e controlada.

Aqui está um guia passo a passo para uma sessão de ECT moderna:

  • 1. Uma sessão de ECT é sempre administrada em um hospital ou clínica psiquiátrica por uma equipe de profissionais médicos, geralmente incluindo um psiquiatra, um anestesiologista e um profissional de enfermagem.
  • 2. No início da sessão de ECT, o paciente deita-se em uma cama de hospital e recebe anestesia geral. Isso significa que o paciente está dormindo e sem dor durante todo o procedimento de ECT, que normalmente dura de 5 a 10 minutos.
  • 3. O paciente recebe um relaxante muscular para evitar que o corpo se mova durante a sessão de ECT.
  • 4. A equipe médica coloca eletrodos na cabeça do paciente. Os eletrodos são mais comumente colocados para direcionar o córtex temporal do cérebro. Às vezes, eles são colocados em ambos os lados da cabeça (ECT bilateral) e em outros casos são posicionados apenas no lado direito da cabeça (ECT unilateral direita). Colocar eletrodos em apenas um lado da cabeça está associado a efeitos colaterais mais brandos.
  • 5. Quando o paciente está dormindo e os músculos relaxados, o médico pressiona um botão na máquina de ECT e uma corrente de cerca de 500-900 miliamperes é fornecida através dos eletrodos ao cérebro por um período de 1-6 segundos. Isso cria uma convulsão controlada que normalmente dura menos de 60 segundos (o paciente não tem conhecimento da convulsão).
  • 6. Poucos minutos depois, o efeito do anestésico e do relaxante muscular começa a desaparecer e o paciente é encaminhado para uma sala de recuperação. Ao acordar, o paciente pode sentir confusão por alguns minutos a algumas horas. A maioria dos pacientes pode continuar com as atividades diárias dentro de uma hora após a sessão de ECT.
  • 7. Alguns pacientes notam uma melhora em seus sintomas depressivos após apenas uma sessão de ECT e outros precisam de tratamento por semanas antes de notar qualquer efeito. Os pacientes geralmente passam por 2 a 3 sessões de ECT por semana durante 3 a 4 semanas.

O que acontece após o tratamento com ECT?

O tratamento geralmente consiste em 6-12 sessões de estimulação eletroconvulsiva (ECT). Depois de concluir essas sessões, é importante não parar com o tratamento contínuo da depressão para, assim, prevenir recaídas. Isso pode significar sessões menos frequentes de ECT, medicação antidepressiva e / ou psicoterapia.

A próxima seção contará mais sobre as possíveis consequências negativas da ECT e o porquê o tratamento geralmente só é usado na depressão grave e na depressão resistente ao tratamento.

A desvantagem da ECT

Efeitos colaterais

Por causa de seus efeitos colaterais, a ECT é mais comumente usada em casos graves de depressão ou na depressão resistente ao tratamento (quando um paciente deprimido já tentou outros tratamentos sem resultados).

A ECT também pode ser usada quando um paciente deprimido precisa de alívio dos sintomas mais rapidamente do que o normal por exemplo, se o paciente apresenta alto risco de suicídio. A maioria dos pacientes relata que os benefícios da ECT superam os problemas, mas é muito importante estar ciente dos possíveis efeitos colaterais antes de tomar sua decisão sobre o tratamento com esse tipo de terapia.

Aqui está uma lista dos efeitos colaterais mais comuns:

  • Desorientação (geralmente dura entre alguns minutos a algumas horas após uma sessão de ECT);
  • Dor, fadiga e náusea são outros efeitos colaterais a curto prazo da ECT.

Além disso, os pacientes relatam perda de memória, que é o maior problema da ECT e um efeito colateral comum. Algumas pessoas perdem a memória de eventos ocorridos meses antes de fazerem o tratamento e outras ficam com lacunas permanentes na memória. A maioria dos pacientes deprimidos afirma que valeu a pena perder algumas lembranças com o tratamento com ECT, mas outros relatam que perderam lembranças preciosas. Por exemplo, a lembrança de uma viagem em família ou mesmo do dia do casamento.

A perda de memória geralmente é pior logo após o tratamento com ECT e, em seguida, melhora gradualmente com o tempo. Uma minoria de pacientes de ECT relata problemas de memória que permanecem por meses ou anos. Infelizmente, atualmente não há como saber quem será afetado por problemas de memória, o que significa que a perda de memória é um risco para todos que decidem fazer o tratamento de ECT.

Vale a pena notar que as dificuldades de concentração e de memória são um sintoma comum de depressão severa. Em alguns casos em que o tratamento com ECT foi bem-sucedido e esses sintomas desapareceram, os pacientes realmente perceberam que a terapia eletroconvulsiva melhorou suas funções de memória.

Dificuldade em formar novas memórias é outro efeito colateral da ECT. E o paciente acaba por ter dificuldade em criar novas memórias. Este efeito colateral é temporário e geralmente desaparece algumas semanas após o tratamento com ECT.

A ECT vale a pena?

– A eficácia da ECT
Pesquisadores e profissionais de saúde observaram os benefícios da terapia eletroconvulsiva para mudar e salvar vidas por décadas. E alguns deles descrevem a ECT moderna como a maneira mais rápida e eficaz para os pacientes se recuperarem completamente da depressão.

“As evidências que indicam que a ECT é eficaz no tratamento de transtornos do humor são diversas, antigas e incontestáveis. Tanto no curto quanto no longo prazo, parece exercer maior benefício do que as alternativas farmacológicas.” Harold A. Sackeim, PhD 2017.

Diferentes estudos relatam resultados diferentes no que diz respeito à eficácia da ECT para a depressão. No entanto, a maioria dos pesquisadores de ECT parece concordar que o tratamento é uma das maneiras mais rápidas e eficazes de eliminar sintomas depressivos graves. Cerca da metade dos pacientes deprimidos se recuperam totalmente com o tratamento e muitos outros são ajudados por ele.

Em 2012, uma revisão de literatura, incluindo 1.106 pacientes com depressão ou transtorno bipolar, mostrou que 51% dos pacientes deprimidos e 53% dos pacientes com transtorno bipolar se recuperaram completamente após o tratamento com ECT. Outro estudo descobriu que 75% dos pacientes deprimidos se recuperaram totalmente com o tratamento com ECT. E que mais da metade deles notou uma redução dos sintomas após apenas uma semana.

Em conclusão, a ECT é um tratamento eficaz para a depressão e o procedimento passou por mudanças consideráveis ​​desde que apareceu pela primeira vez em 1938. O maior problema com a ECT é o risco de perda permanente ou temporária das memórias de eventos passados. Se você está sofrendo de depressão grave ou depressão resistente ao tratamento, certifique-se de discutir os riscos e benefícios com seu médico antes de tomar uma decisão sobre o tratamento.

Existem outras formas de estimulação cerebral?

– Apresentando ETCC
Se você não tem sintomas depressivos graves ou depressão resistente ao tratamento, existem formas mais suaves de estimulação cerebral com efeitos colaterais consideravelmente mais brandos do que o tratamento com ECT.

A Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC) é uma técnica de estimulação cerebral cada vez mais popular, e que você pode comprar online e usar em casa para tratar sintomas depressivos. A corrente ETCC (0,5-2 mA) é 400 vezes mais fraca do que a corrente usada na ECT e causa menos efeitos colaterais graves do que a medicação antidepressiva.

Estes são os efeitos colaterais que você pode esperar da ETCC:

  • Sensações de picadas leves sob os eletrodos;
  • Vermelhidão da pele temporária (na testa onde os eletrodos são colocados);
  • Dores de cabeça leves que passam após 30 minutos.

Como funciona o tDCS/ETCC?

A tDCS ou ETCC fornece uma corrente elétrica suave através de dois eletrodos colocados no couro cabeludo. Para tratar a depressão, os eletrodos são colocados no alto da testa para atingir uma área do cérebro chamada córtex pré-frontal dorsolateral (DLPFC).

 ECT age na parte do cérebro chamada DLPFC

A atividade diminuída no DLPFC está associada a sintomas depressivos, como: fadiga, problemas de sono, dificuldades de concentração e alterações no apetite. A corrente elétrica estimula a atividade cerebral na região e, assim, alivia os sintomas depressivos.

Uma sessão de ETCC geralmente dura 30 minutos e pode ser administrada em casa através de um Headset de neuroestimulação. O protocolo recomendado para depressão inclui 5 sessões de estimulação por semana durante as primeiras duas semanas. E, depois disso, 2 sessões por semana pelo tempo que você precisar. A maioria das pessoas nota uma redução dos sintomas depressivos em 3-4 semanas.

A ETCC pode curar a depressão?

A ETCC não requer anestesia ou visitas regulares a uma clínica psiquiátrica e é obviamente uma opção de tratamento muito mais conveniente do que a terapia eletroconvulsiva. Mas quão eficaz é? A ETCC pode curar a depressão? Acontece que pode. Em 2019, o pesquisador de doutorado Julian Mutz e colegas compararam diferentes formas de estimulação cerebral para a depressão. Os pesquisadores concluíram que a ETCC foi um tratamento eficaz para a depressão, sendo uma opção menos cara do que TMS, ECT ou mesmo psicoterapia.

“…Descobrimos que o tDCS é eficaz em todos os resultados nas metanálises de pares e de rede. Dado que a ETCC tende a ser um tratamento menos caro do que a estimulação magnética transcraniana, ECT ou psicoterapia. Esta descoberta é particularmente relevante para os formadores de políticas que podem considerar a ETCC como uma terapia clínica fora do ambiente de pesquisa.” Mutz et. al, 2019.

Leia mais sobre as evidências científicas por trás do ETCC aqui.

Onde posso obter a ETCC?

Você pode comprar um Headset ETCC online e usá-lo em casa para tratar a depressão. A Flow Neuroscience desenvolveu o primeiro dispositivo ETCC com marcação CE e aprovado clinicamente para uso doméstico. Além de, agora, ter a certificação pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O tratamento Flow é baseado em décadas de pesquisa clínica e respaldado por mais de 20 estudos controlados por placebo, todos publicados em periódicos revisados ​​por pares. Aqui está um guia rápido para obter seu próprio dispositivo ETCC:

  • 1. Encomende o Headset Flow na loja online;
  • 2. Baixe o aplicativo gratuito de depressão;
  • 3. Em alguns dias, seu Headset será entregue. Quando ele chegar, desempacote seu aparelho e inicie o aplicativo;
  • 4. O aplicativo mostrará como colocar o Headset e como iniciar a estimulação. Basta seguir as instruções;
  • 5. Você receberá cinco sessões de estimulação de 30 minutos por semana, durante as primeiras três semanas. Depois disso, haverá uma ou duas sessões por semana pelo tempo que você quiser.

Se você quiser saber mais sobre como usar o dispositivo Flow ETCC/tDCS, assista a um vídeo do próprio fabricante. Clique aqui. Lembrando que o vídeo está em inglês mas você pode acionar as legendas em português para acompanhar o conteúdo. Basta clicar no botão “legendas/legendas ocultas” que aparece no canto inferior do vídeo e ativar o sistema de legendas.

Em conclusão, a Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC) é um tratamento eficaz para a depressão e causa menos efeitos colaterais e mais leves do que a medicação antidepressiva ou ECT. Embora essa última seja mais eficaz, especialmente no tratamento de sintomas depressivos graves, a ETCC é mais segura e muito mais conveniente.

Este artigo foi traduzido, para ver a versão original clique aqui.

Conheça o Flow, um novo tratamento para depressão

Flow: o novo tratamento para depressão!

Levando em consideração o novo normal, que inclui isolamento social, home office e uma grande pressão psicológica em razão do contexto de pandemia, você pode estar sofrendo com os sintomas que o transtorno depressivo desperta. É o seu caso? Saiba que existe um tratamento que você pode realizar no conforto e segurança do seu lar! Conheça, neste blog, o Headset Flow. Um neuroestimulador responsável por tratar dos sintomas da depressão! Livre dos efeitos colaterais que a medicação provoca, você pode realizar o tratamento mantendo as recomendações sanitárias. Leia e confira mais sobre como esse método traz comodidade, conforto e resultados comprovados.

O Headset Flow: inovação no tratamento para depressão

O dispositivo Headset Flow é controlado pelo aplicativo Flow. É preciso conectar o seu Headset ao app, via Bluetooth. Assim, você conseguirá habilitar e programar as sessões de neuroestimulação de acordo com a sua disponibilidade de tempo. E como já dissemos, você não precisará sair de casa e se expor a riscos que, infelizmente, a Covid-19 ainda nos desperta. Neste momento é preciso cuidar do corpo, mas da mente também! E com o Headset isso é possível!

A técnica adotada é a Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua, que já vem sendo utilizada em outros países para o tratamento de transtornos como a depressão. O dispositivo foi aprovado para uso doméstico em países como o Reino Unido, que está sob as orientações e legislação da União Europeia. Já no Brasil, antes de ser lançado no mercado, o Headset Flow passou por todas as etapas de validação e homologação. Tudo supervisionado por órgãos como o INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que “tem por finalidade institucional promover a proteção da saúde da população, por intermédio do controle sanitário da produção e consumo de produtos e serviços submetidos à vigilância sanitária, inclusive dos ambientes, dos processos, dos insumos e das tecnologias a eles relacionados”.

O aparelho possui dois eletrodos – pólos condutores de energia elétrica – que deverão ser posicionados na região da testa para estimular a atividade cerebral. E, assim, tratar dos sintomas do transtorno. Os eletrodos geram uma corrente que será a responsável por estimular as atividades neurais e gerar reações diferentes das que a depressão causa em nosso cérebro.

Além do mais, o Headset é um aparelho portátil, seguro e confortável, o que garante praticidade e eficácia para o tratamento da doença. Você pode se recuperar dos sintomas e reflexos da depressão aí mesmo, na sua casa! Ainda vivemos um período conturbado devido a pandemia. Por isso, sempre que possível, tire um tempo para cuidar da sua mente. E tudo bem se sentir afetado com o contexto, mas o que você não pode fazer é se deixar levar! Mais do que nunca é importante se isolar e cuidar da sua saúde física e mental. Lembre-se: isso vai passar! Porém, ainda é preciso paciência.

Pesquisas e resultados

O Headset de estimulação passou por diversas pesquisas, fases de desenvolvimento e validação. E com isso, ele se mostrou eficaz em relação aos tratamentos tradicionais e com menor índice de efeitos colaterais. Sendo assim, o tratamento com o dispositivo Flow é uma alternativa totalmente eficaz!

O suporte e a inovação são diferenciais que o próprio aplicativo irá disponibilizar. Pois além de oferecer um tratamento individual, é muito importante garantir que o paciente se adapte e obtenha bons resultados com o uso. E por isso que o app é de fácil utilização, otimizando o tempo e certificando que as sessões sejam satisfatórias.

Box para tratamento da depressão

Você pode receber, no conforto da sua casa, um kit com os itens necessários para o tratamento. Os itens são: 1 Headset, 1 Carregador, 1 Cabo micro-USB, 2 Anéis de suporte para os Pads, 1 Caixa de Pads para 6 semanas, 1 Instruções de uso em Português.

O Headset possui bateria interna, com duração de 5 horas. Isso significa que você conseguirá realizar cerca de 10 sessões de estimulação antes de precisar recarregar. E quando esse momento chegar, é simples: conecte o cabo USB ao carregador de tomada e também ao dispositivo. Bem simples, não é? É o mesmo que você faz com o seu smartphone, mas a frequência será menor.

Os Pads são descartáveis, por isso é importante que sempre faça a troca entre uma sessão e outra. E o box já contém uma caixa deles para você não precisar se preocupar! Os Pads para as primeiras 6 semanas, ou equivalente a 20 sessões, já estão incluídos no pacote.

Além disso, você receberá também um manual com as instruções de uso e características técnicas do produto. Leia com atenção antes de iniciar os protocolos de tratamento. O manual do usuário está impresso em vários idiomas, inclusive Português.

Detalhes sobre o Headset Flow

O dispositivo possui diversas certificações, sistema de segurança que permite o uso doméstico além de ter sido testado de acordo com a IEC 60601. Isso tudo para garantir a segurança de dispositivos médicos elétricos.

Outra informação importante é: o uso é restrito às pessoas maiores de 18 anos que já possuem diagnóstico de depressão. Visto que mesmo não causando as reações adversas dos medicamentos, o uso impactará na forma com que o cérebro responde ao transtorno, modulando novas reações positivas. Ou seja, é preciso que exista um fator pré disposto (diagnóstico) para que o tratamento seja indicado. Também aconselhamos o monitoramento através do aplicativo, que trará as informações necessárias para o tratamento.

Flow e você

Se ainda ficaram dúvidas sobre como funciona este tratamento para depressão, acesse o nosso blog O Que É Um Neuroestimulador Para Tratar Da Depressão? e saiba mais! Nós teremos o maior prazer em te atender e auxiliar no que for preciso. Headset Flow: eficácia de resultados e praticidade para o seu dia a dia.

Headset neuroestimulador para tratar depressão

O que é um neuroestimulador para tratar da depressão?

Talvez você já tenha ouvido falar de tratamentos com aplicação da neuroestimulação. Se esse for o caso, nós poderemos te ajudar a entender melhor sobre a tecnologia por trás de dispositivos desse tipo. Você sabia, por exemplo, que eles podem ser utilizados para tratamentos antidepressivos? Isso mesmo! A estimulação cerebral vem ganhando espaço, também, na área da neuropsiquiatria, melhorando a qualidade de vida dos pacientes. Leia este blog e saiba mais sobre as técnicas que sustentam a nova era. Tratar depressão pode ser no conforto da sua casa!

Tecnologia para tratar depressão: entendendo melhor o conceito

O avanço das tecnologias adquiriu espaço, como já visto, na área da neurologia e das ciências médicas. Com isso, os pacientes não precisam mais se limitar aos métodos tradicionais para controle e tratamento de doenças psiconeurológicas, dentre elas, a depressão.

A técnica de neuroestimulação sobre a qual falaremos aqui é a eletroestimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC), que nada mais é do que o uso de uma corrente elétrica leve e específica, capaz de enviar sinais para os nossos neurônios. E essa técnica já vem sendo utilizada há anos para o tratamento de transtornos como a depressão. A eletricidade não possuía a boa fama no ramo da Medicina, mas é importante não confundir com métodos agressivos anteriormente utilizados como a terapia eletroconvulsiva, conhecida como “terapia de eletrochoque”. E os avanços vêm, cada vez mais, quebrando esse tabu!

A eletroestimulação é, agora, segura e possível graças ao avanço da ciência e da tecnologia. Isso possibilita usos refinados e indicados para as mais diversas doenças, incluindo a depressão. Além do mais, você pode se recuperar dos sintomas e reflexos do transtorno depressivo no lugar que você mais gosta: a sua casa! Os neuroestimuladores são responsáveis por mais essa conquista.

A tecnologia e as pesquisas

Além da inovação, os resultados são essenciais. A pesquisa clínica é uma parte fundamental de todo o processo, pois a eficácia nos testes indicam eficiência semelhante ao tratamento com medicamentos, porém livre dos seus efeitos colaterais.

Aliadas, engenharia e medicina são as responsáveis pela regulamentação dos processos e também por proporcionar às pessoas uma estrutura técnica especializada. Assim, são capazes de certificar que os dispositivos alcancem os objetivos desejados e minimizem os riscos da exposição às ondas elétricas. A alternativa à medicação deve ser segura, acessível e tão eficaz quanto, não concorda?!

Como os neurotransmissores impactam na atividade neural

Nem todos os sinais são elétricos do início ao fim, existe um componente químico importante nesta transição de sinais: os neurotransmissores. Eles são os responsáveis por modular, de forma geral, as funções cerebrais e como o corpo reagirá aos estímulos ou à falta deles.

No caso, a depressão está, geralmente, associada à instabilidade de alguns neurotransmissores. Se soubermos quais os sintomas, condições ou doenças psicológicas a que esse desequilíbrio está associado, é possível utilizar da estimulação para corrigi-lo.

Existem efeitos colaterais?

Quando o assunto for protocolos de tratamento, os efeitos colaterais fazem parte do plano de reação do organismo frente aos novos estímulos. E aquela velha expressão de “toda ação gera uma reação” também se aplica à área da clínica médica.

Mas o principal é: os reflexos do procedimento são vantajosos comparando os estágios iniciais e pós início do protocolo? Se sim, os efeitos colaterais ainda superam uma vida sem nenhuma intervenção como forma de cuidado.

Os métodos para tratar da depressão

Existem vários métodos de tratamento baseados em evidências científicas, mas isso não significa que eles sejam universais, ou seja, cada tipo de tratamento funciona de forma diferente em cada pessoa. Você não precisa se desesperar por ainda não ter encontrado o que melhor funciona para o seu caso. É importante ter persistência até encontrar o que se adequa melhor a você.

A combinação de métodos é, também, um caminho e pode ser o que você buscava. A neuroestimulação associada à terapia comportamental é um exemplo de como bons métodos se tornam mais eficazes se trabalhados em sintonia. Tratar da depressão ganhou um novo aliado: o universo da neuromodulação das redes neurais humanas!