Corpo, mente e isolamento social

Isolamento social: como corpo e mente reagem ao novo cenário?

Pandemia, distanciamento, isolamento social, home office, delivery, máscara. Como será que o nosso corpo e a nossa mente têm reagido a esse novo normal? Um mundo onde o virtual quebrou ainda mais as barreiras do espaço, mas que, paradoxalmente, aumentou a distância entre as pessoas. Há um ano, pensávamos que em alguns dias tudo voltaria à rotina frenética de sempre. No entanto, não foi isso que aconteceu. Fomos preenchidos de incertezas e de medidas de segurança. E ninguém nos ensinou, de fato, a lidar com a situação. Corpo e mente precisam de cuidados neste período, e vamos te ajudar com isso!

Isolamento social e a vida pós pandemia

Certamente, em algum momento, você pensou e se perguntou: como será a vida depois que tudo isso passar? Como é um pós-pandemia? Afinal, conhecer a história do mundo e todas as suas crises é muito diferente do que vivenciá-la, não concorda?

A maior crise sanitária do século colocou abaixo perspectivas e sonhos que nos pareciam importantes e urgentes. Mostrou que sermos imediatistas nos consome de um jeito que nem sequer nos damos conta. Por vezes, o que nos consola é o próprio passado e a expectativa de um futuro melhor e mais tranquilo. Mas o quanto pensar para frente ou lá no passado nos faz bem? Será que a nossa mente não nos sabota sempre que decidimos “fugir” um pouco dessa realidade?

Manter a saúde mental tem sido um grande desafio, afinal, a saudade aperta, a incerteza dói e a realidade é sempre mais cruel do que você pode imaginar. Diante disso, é essencial que você cuide do seu corpo, não se esquecendo da mente. Porque já que não podemos e não conseguimos controlar a realidade, o que importa agora é controlar a vastidão de sentimentos que vem acontecendo dentro de nós.

Como corpo e mente reagem?

Sempre que a nossa mente se agita, os efeitos podem ser visivelmente físicos. Sabe aquele dia em que você não consegue pregar os olhos por estar preocupada com algum assunto? Então! A insônia é um dos resultados de uma mente agitada e cansada. Além disso, essa agitação constante pode afetar o nosso sistema nervoso como um todo, desencadeando doenças e/ou transtornos, sejam eles físicos ou neurológicos.

Os sentimentos de tristeza e de desorientação também podem gerar consequências em nossa rotina e no funcionamento do nosso corpo. O pensamento fica mais lento, tomar decisões tem um peso maior e a irritação é um efeito colateral quase inevitável. Já que não resolver coisas “simples” parece o fim do mundo. Mas já parou para pensar que a cobrança excessiva pode ser uma das causas desse problema? É como se quiséssemos enxergar estabilidade em tudo. E o caráter que uma pandemia menos pode nos oferecer é uma situação estável.

O isolamento social e a falta de convívio com as pessoas

E muitos podem estar se perguntando, ainda hoje, um ano depois da primeira vez que o Brasil parou: por que estou sentindo tanta falta de estar em outros lugares e ver outras pessoas? A resposta é relativamente simples: somos, por natureza, seres sociáveis. Aprendemos que sempre vamos precisar do outro para sobreviver. Por isso criamos laços sociais, cooperativos e solidários. E quando fomos e ainda somos privados desses contatos – por um bem maior, claro! -, é comum que sintamos tristeza, angústia e até mesmo solidão.

Além do mais, o inimigo agora é invisível, mas mortal, é pequeno, mas com grande poder. Sendo assim, o mundo fora do isolamento parece ser perigoso, prejudicial e sem solução. Uma das reações possíveis é, de fato, enxergar o perigo e se sentir acuado, com medo e depressivo. Mas existem ainda aquelas pessoas que negam o perigo e por impulsos, acabam se expondo. Isso para “provar” a si mesmo que está tudo bem.

Mas é preciso reconhecer os sinais que o seu corpo está dando. O isolamento social exigiu mudanças na rotina, mostrando a fragilidade das certezas e o quanto a vida é capaz de mudar em tão pouco tempo. Sendo assim, a necessidade do autocuidado foi escancarada como nunca antes. Mas sabe qual a boa notícia? É que o ser humano é capaz de aprender até o seu último respiro. Não deixe de aprender a se cuidar, você não pode adivinhar o amanhã, mas pode se cuidar hoje! A pandemia ainda não terminou, mas a certeza é que o cuidado com você mesmo não pode parar nunca!

Deixamos para você, como sugestão de autoconhecimento e autocuidado, nosso app Flow. Disponível para download gratuito em nosso site.

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *