depressão e ansiedade

A ansiedade pode resultar em depressão?

A ansiedade e a depressão são muitas vezes vistas como doenças opostas. Afinal, os transtornos de ansiedade estão relacionados ao medo, à preocupação excessiva, à expectativa apreensiva, à inquietação. A depressão, por outro lado, está associada à fadiga, à pouca energia, ao desânimo. Mas, por mais improvável que pareça, ambas as doenças podem ter uma relação bem próxima.

Se a sua ansiedade é uma resposta emocional temporária a uma situação de estresse, não é tão provável que isso leve à depressão. Contudo, se a ansiedade é recorrente, a situação muda: a pessoa pode estar sofrendo algum transtorno de ansiedade. Nesse caso, pesquisas apontam que há chances maiores da ansiedade levar à depressão. Especialmente se não for tratada.

Continue a leitura deste artigo para entender por que isso acontece e o que você pode fazer para lidar com o problema.

Como a ansiedade pode levar à depressão?

Os efeitos não tratados da ansiedade podem causar o desenvolvimento de sintomas de depressão. Veja como isso pode acontecer:

Comportamentos evitativos

A ansiedade está relacionada ao estresse e ao medo. Isso significa que o cérebro fica em estado de alerta. Uma resposta óbvia em situações como essa é evitar tudo que resulte nestes sentimentos. E isso é exatamente o que o cérebro faz. Se, por exemplo, falar em público te causa estresse, o cérebro pode começar a pedir que você evite ao máximo fazer apresentações para outras pessoas.

O resultado disso é que a ansiedade passa a te limitar. Privando você de situações importantes. Porque, no fim, são nesses casos que realmente nos sentimentos ansiosos: quando é importante para nós. Consequentemente, se isso durar muito tempo, a vida vai ficando menos prazerosa. Você vai se sentindo descontente e insatisfeito consigo mesmo. O que pode fazer com que a ansiedade cause depressão.

Além disso, o comportamento evitativo também pode levar ao isolamento. Principalmente se os sintomas de ansiedade social são fortes. Nessas situações, também, a ansiedade social e a solidão podem levar à depressão.

Mudança na autopercepção

A ansiedade também pode impedir de continuar ou sequer começar atividades em geral. O que pode acabar levando você a se enxergar como alguém incapaz de lidar com momentos difíceis. Não sai com os amigos e deixa de realizar apresentações importantes. Como resultado, a autocrítica fica afiada porque não conseguiu fazer algo que gostaria de ter feito.

Sentir-se inútil é um sintoma de depressão. Por isso, quando você vive com baixa autoestima e sem confiança, é muito provável que desenvolva outros sintomas da doença. Essa é outra maneira pela qual a ansiedade leva à depressão.

Esgotamento

Ao sentirmos medo, a adrenalina é liberada em nosso corpo para nos ajudar a enfrentar a ameaça. Mas, quando isso acontece com muita facilidade e frequência, passa a ser um problema. Esse estado de hipervigilância pode esgotar e desgastar os hormônios do estresse. Além disso, também pode interferir no sono e afetar o apetite. Outro fator que pode resultar em sintomas de depressão.

Dicas caseiras para lidar com a depressão e a ansiedade

A depressão e a ansiedade compartilham de muitos sintomas. Pensamentos negativos e intrusivos, inquietação, irritabilidade, fadiga, problemas de sono, dificuldades de concentração. Por essa razão, existem métodos que podem ajudar a lidar com as duas condições ao mesmo tempo.

Vejamos algumas mudanças no seu estilo de vida que valem a pena:

1. Atividade física

A atividade física regular é um tratamento eficaz já comprovado contra a depressão e a ansiedade. Além de ser a única medida que apresenta efeito imediato contra os sintomas da depressão. Ao passo que os medicamentos geralmente levam semanas para fazer efeito, uma caminhada já faz maravilhas pelo humor e pela concentração.

2. A meditação mindfulness

A meditação mindfulness é uma ótima maneira de conhecer sua mente e seu corpo por dentro. Podendo também ser considerada um dos remédios mais valiosos contra a depressão e a ansiedade.

A prática frequente do mindfulness ensina a identificar os primeiros sinais de depressão, permitindo que você impeça que se transformem em um episódio depressivo. Além disso, a prática ajudará a lidar melhor com emoções mais fortes. Algo muito importante quando se tem depressão e ansiedade.

3. Alimentação

Pesquisas interessadas pelo efeito que a alimentação tem sobre a saúde mental são cada vez maiores. O estudo SMILES, por exemplo, conduzido na La Trobe University em Melbourne em 2017, evidencia bem como a comida pode influenciar na maneira como nos sentimos.

Para o estudo, foram formados dois grupos de pessoas com depressão. Um deles comeu com base em uma dieta mediterrânea por 12 semanas. O outro comeu normalmente, mas recebeu apoio social durante as mesmas 12 semanas. Os pesquisadores descobriram que parte do grupo de pessoas que teve uma alimentação mediterrânea apresentou uma melhora completa de seus sintomas de depressão. O outro grupo não sentiu nenhuma diferença.

Caso queira saber mais sobre o assunto, confira nosso blog sobre como a alimentação influencia na depressão.

Tags: No tags

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *